Voltar para Índice de temas em cognição musical

Voltar para http://www.marcelomelloweb.cjb.net.

 

 

TEMAS EM COGNIÇÃO MUSICAL

EFEITOS DE ÁUDIO

Marcelo Mello

(retirado do Guia Prático de Sonorização de Palco e de Princípios de Áudio)

Para os conceitos de ondas de compressão e descompressão, freqüências, onda fora de fase, dB, consulte o texto Temas em cognição musical - características do som.

A palavra áudio pode ser descrita como o “conjunto de técnicas para registrar, reproduzir e transmitir o som”, principalmente, nos tempos modernos, de forma elétrica, eletrônica, digital. Nos aparelhos de um sistema de som moderno o som é transformado, de várias formas diferentes, em uma corrente elétrica, que corre por dentro deles. As diferenças entre os diversos sons são transformadas em correntes diferentes (um som com variações de intensidade é transformado em uma corrente com diferenças de intensidade correspondentes, por exemplo). A corrente responsável pelo som dentro de um aparelho desses é chamada de sinal.

Já em um arquivo de som digital, as informações do som serão codificadas em amostras digitais, isto é numéricas, e reproduzidas também por decodificação dos números assim produzidos. Dessa, forma, a maneira com que o som será codificado interferirá na qualidade com que será reproduzido (figura 1d-01).



Figura 1d-01 – diferentes taxas de amostragem e de profundidade de bits irão influenciar na qualidade da reprodução digital da onda sonora.
 

Efeitos de duração e variação temporais (delays)


Delay: Geralmente gerado pelo armazenamento do sinal de áudio em um buffer eletrônico por um certo período de tempo para depois ser reenviado para a saída de áudio. O efeito mais simples é conseguido pela soma do sinal original com o sinal atrasado. Delays múltiplos podem ser gerados pela reinserção repetida do sinal atrasado. Multitap delays são gerados a partir de um único e longo delay que é repetido em intervalos diferentes, gerando múltiplas repetições. Ping-pong delays são obtidos pelo direcionamento alternado de cada repetição para os canais esquerdo e direito da saída de áudio.

Parâmetros:

Phaser, flange, chorus: Os períodos das oscilações em ondas sonoras na faixa audível (20Hz - 20kHz) variam entre 50ms e 0,05ms. Portanto, defasagens nessa faixa de tempo irão interferir nas oscilações de freqüências periódicas (cancelamento de fase). Esse “atraso” relacionado às freqüências sonoras é a base para estes 3 tipos de efeito: phaser, flange, chorus (a diferença entre eles está ligada ao tempo de atraso).

O efeito de phase emprega atrasos muito curtos na faixa de 1 a 10 ms. Quando o sinal original é atrasado em relação ao sinal repetido ocorre um efeito conhecido por comb filter no qual as frequências cujos períodos estão diretamente relacionados ao tempo de atraso são atenuadas e reforçadas devido ao cancelamento de fase. Efeitos de phase utilizam um determinado número de filtros para gerar o efeito comb. Usando um modulador (LFO) para mover esse filtro dentro de uma determinada região do espectro causa um cancelamento de fases variável dependente das frequências usadas.

O flange é semelhante ao phase e foi usado pela primeira vez em uma gravação pelo inovador guitarrista Les Paul. O efeito era alcançado com dois gravadores magnéticos contendo o mesmo material sonoro fazendo com que um dos gravadores diminuísse ocasionalmente a rotação para gerar uma diferença de fase entre os sinais. Nos sistemas digitais, o flanger é obtido de modo semelhante ao phase, com atrasos de 1 a 20ms e um modulador que varia o atraso. A diferença é que no flange a atenuação e o reforço das freqüências ocorrem em intervalos regulares enquanto que no phase isso depende da disposição dos filtros. Além disso, no phase o espaçamento, a largura e a intensidade (depth) podem ser variáveis. Em geral, flange tem um efeito no campo das alturas mais pronunciado que o phase.

O chorus atua introduzindo pequenas variações de afinação no sinal através de um delay, gerando um efeito de "dobra" dos sons. Geralmente são produzidos em estéreo, utilizando delays mais longos que o flanger (10 a 30ms) e muitas vezes sem feedback (o que introduz um carater artificial no som). Existem várias implementações de chorus. Geralmente, são empregados dois delays variáveis modulados pelo mesmo oscilador, mas a saída de um oscilador é invertida antes de ir para um dos delays o que elimina mudanças mais acentuadas de afinação.

Parâmetros:


 



 

Topo